terça-feira, 7 de novembro de 2017

Me visto sem cuidado,
um brinco por esquecimento,
mãos nuas como eu me sinto,
descalça, visto caminhos
imaginados e quereres.
Dentro tem inquietação

e nada mais.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Não se constroem pontes
em abismos.

Verdades e mentiras.

Tristes como
pérolas em fios,
vida que não se guarda.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Meu coração foi arrancado
e colocado de volta.
Perdi o chão.
No ar, meus passos
ficaram longe do chegar,
menos urgentes,
experimentaram afetos,
a humanidade dos cuidados
desconhecidos.
Receptiva, piso leve
no caminho aprendido,
a vida me devolve
e eu gosto disso.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Nas noites de escuridão,
a lua é só a lua,
mesmo quando ela está ali
sorrindo cheia de graça.
Mentira,
não consigo deixar de retribuir,
um pouquinho.

domingo, 24 de setembro de 2017

Pra onde vai tanta água 
desse rio que não alcança o mar?
Vai para o deserto,
leva existência ao impossível...





quarta-feira, 20 de setembro de 2017

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Durante o dia, meus receios
saem a passear,
se perdem nas quebradas,
por pouco me abandonam,
mas não,
a noite sempre
os acolhe.

Me visto sem cuidado, um brinco por esquecimento, mãos nuas como eu me sinto, descalça, visto caminhos imaginados e quereres. Dentro ...